Comissão de Segurança recebe Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil

A pedido de seu presidente, vereador Mazinho dos Anjos (PSD), a Comissão de  Segurança da Câmara de Vitória (CMV) realizou, nesta quinta-feira (25/06), a sua segunda reunião extraordinária do ano, em reunião remota, em que recebeu três membros da Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo, Igor Moraes Peres, Alan Amorim Margon e Norberto Cunha Louven. Eles vieram dialogar com os membros da Comissão Municipal, após contatos anteriores com representantes do governo do Estado e da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), sobre a necessidade e a importância da nomeação dos aprovados no concurso, para amenizar os problemas causados pela necessidade de recompor o efetivo da Polícia Civil capixaba.

Na oportunidade, os três membros da Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil, Igor Moraes Peres, Alan Amorim Margon e Norberto Cunha Louven se revesaram para explicar a necessidade de contratação imediata dos 173 concursados aprovados, bem como dos demais selecionados para o cadastro de reserva (conforme previsto no edital). A medida que, segundo eles, já era urgente, agravou-se em função do deficit de 50% de cargos que precisam ser preenchidos na Polícia Civil do Estado, e também por conta dos profissionais afastados da atividade por pertencerem ao grupo de risco da covid-19. Além disso, os representantes da Comissão dos Aprovados afirmaram que a demanda atinge gravemente todo o Estado, e em especial os municípios mais populosos, como é o caso de Vitória, que se tormou Capital Metropolitana nesta data. Entre os bairros mais atingidos pelo aumento de violência, foram citados Jucutuquara, São Pedro e a região de Eucalipto, na Grande Maruípe, além do região do Centro. "O trabalho investigativo Polícial, apurando e solucionado crimes, é importante para dar maior sensação de segurança à população da Capital, que tem quadros bastante desfalcados na Polícia Civil", afirmou Norberto Cunha Louven.

"O último concurso realizado para recompor os quadros da Polícia Civil foi realizado há 27 anos, quando o número de moradores do Estado e a violência social eram bem menores. A situação é grave. Alguns servidores conseguiram na Justiça o direito de tomar posse, mas infelizmente muitos deles também fazem parte do grupo de risco da covid-19, o que aumenta o nível da urgência", disse Igor Moraes Peres. "O bairro mais populoso da Capital, Jardim Camburi, possui apenas um investigador", ressaltou.

Os vereadores presentes à reunião, além do presidente, Davi Esmael (PSD) e o vereador Cleber Felix, presidente da CMV, participaram do debate e ouviram as reivindicações da Comissão dos Aprovados. Os parlamentares decidiram se unir aos esforços realizados para que a demanda apresentada possa ser atendida, unindo-se às demais entidades civis e governamentais empenhadas em solucionar o problema de segurança que atinge a Capital e o Estado. Entre as primeiras decisões anunciadas estão articulações com o líder do governo na Ales, deputado Freitas (PSB), a OAB e demais entidades sindicais da categoria. O tema continuará sendo abordado pelos vereadores de Vitória na Comissão de Segurança da CMV.

 

Texto: Mágda Carvalho
Imagem: Reprodução A Gazeta

Departamento de Comunicação:
Diretora: Nadine Alves
Jornalistas: Mágda Carvalho e Fátima Pittella
Fotógrafa: Mariana Duarte
(27) 3334-4650
cmv.dec@gmail.com
www.cmv.es.gov.br/
www.facebook.com/camaradevitoria
https://www.instagram.com/camaramunicipaldevitoria
https://www.twitter.com

 

 

 

Data de Publicação: quinta-feira, 25 de junho de 2020