Servidoras da Câmara participam de palestra sobre Violência contra a Mulher

Debater a violência contra as mulheres têm se tornado cada vez mais preciso. Infelizmente os índices de violência e até feminicídios têm crescido no Espírito Santo e no Brasil. De acordo o Atlas da Violência 2018, foram registradas 13 mortes violentas de mulheres por dia, totalizando 4.745 mortes. Número semelhante ao ano de 2016, período em que 4.645 mulheres foram assassinadas no país. Os números de 2016 representam um aumento de 6,4% em relação a 2006. Em 2017, o Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Buscando formas para combater a violência, a Câmara de Vitória (CMV) realizou, na tarde desta segunda-feira (11/03), uma palestra para as servidoras. O encontro contou com a presença da Delegada da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DIV-DEAM), Cláudia Dematté responsável em trazer luz a formas de combate e denúncias. Os vereadores Cleber Felix (PROG), Neuzinha de Oliveira (PSDB), Virgínia Brandão (PPS), Sandro Parrini (PDT), Davi Esmael (PSB), Mazinho dos Anjos ( e Luiz Paulo Amorim (PV) também estiveram presentes. 

 

O presidente e vereador Cleber Felix deu início as falas destacando a importância do debate. "Trazer o assunto para os servidores é uma forma de alcançar famílias que talvez, infelizmente, estejam passando por isso. Fico feliz com a presença de todos aqui e espero que esse encontro seja luz para nos guiar no combate a violência doméstica," concluiu. 

 

A vereadora Virgínia Brandão fez questão de apresentar mulheres fortes que atuaram na história, como a filósofa americana Angela Davis que ganhou destaque ao se engajar em lutas pelos direitos das mulheres e contra a discriminação racial e a brasileira Luisa Mell, que busca conscientizar as pessoas da importância de uma convivência respeitosa com os animais. "Independente de onde as mulheres atuem, a sua representatividade é forte e necessária para a construção de um mundo mais digno e igual," disse a vereadora Virgínia Brandão. 

 

Já a vereadora Neuzinha de Oliveira mencionou as conquistas alcançadas pelo sexo feminino ao longo das décadas. "Direito para trabalhar, para votar e até para se divorciar foram conquistados com muita luta, mas é essencial nós lembrarmos que há muita coisa ainda para conquistar,  e a luta é diária, por isso não devemos dar nenhum passo atrás, devemos avançar em busca de respeito", declarou a parlamentar. 

 

Logo após a Delegada Cláudia Dematté deu início a sua fala. "Hoje temos aqui na CMV não só ouvintes, mas multiplicadores. Para mudarmos a sociedade, às vezes nós precisamos começar a mudança por nós mesmos," lembrou a delegada. 

 

Ela abordou também a questão que as agressões são resultados de uma sociedade centrada no machismo e patriarcado. "Há momentos que vemos as próprias mulheres praticando atos machistas, e até mesmo se culpabilizando por ter sofrido alguma agressão por parte do companheiro. É necessário desconstruir os valores que foram passados ao longo do tempo para os homens e as mulheres, é preciso rever nossos posicionamentos. Isso não é ideologia política ou religiosa, estamos falando aqui de igualdade," ressaltou a Delegada Cláudia.
 

Outro ponto destacado por ela foram os aprimoramentos das leis, principalmente após a criação da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006), agora elas estão mais rígidas para punir os agressores. "Antes a lei ordenava que o agressor pagasse cestas básicas e tudo bem, agora se o agressor for pego em flagrante, eles será preso e atuado em flagrante. Caso seja uma denúncia feita, será instaurando um inquérito policial para apurar o crime praticado pelo homem, e ao final, ele pode ser preso e condenado," ressaltou Cláudia Dematté. 
 

Para finalizar, a Delegada lembrou a importância da prevenção. "Hoje na Divisão Especializada de Atendimento à Mulher, nós pensamos na sociedade. Temos dentro da Divisão o projeto chamado 'Homem que é Homem', na qual trabalhamos com os homens agressores na desconstrução desses valores machistas", declarou ela. Vale lembrar que mesmo no programa os homens continuam respondendo pelo crime cometido. 

A Assessora Parlamentar, Geylla Sall, destacou a importância do debate para erradicar a violência e o papel de cada um nesse contexto. “A violência afeta mulheres de todas as classes sociais, etnias e regiões brasileiras. Atualmente a violência é entendida não como um problema de ordem privada ou individual, mas como um fenômeno estrutural, de responsabilidade da sociedade como um todo. Muitas vezes, estamos inseridas em um contexto em que só vimos notícias na imprensa e não nos damos conta do que podemos ser multiplicadores de informação para àquela que precisa, pois a situação para quem sofre a violência é constrangedora", finalizou a assessora. 
 

Em caso de violência, denuncie ao 180. 

 

 

Texto: Nadine Alves
Fotos: Rhuan Alvarenga 

 

#paracegover

Departamento de Comunicação:

Diretora: Nadine Alves

Jornalistas: Mágda Carvalho e Fátima Pittella

Fotógrafo: Rhuan Alvarenga

Administrativo: Suelen Dorico

(27) 3334-4650

cmv.dec@gmail.com

www.cmv.es.gov.br/

www.facebook.com/camaradevitoria

https://www.instagram.com/camaramunicipaldevitoria

https://www.twitter.com

Data de Publicação: segunda-feira, 11 de março de 2019

ACOMPANHE A CÂMARA

Endereço:
Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, n° 1788
Bento Ferreira - Vitória/ES - CEP: 29050-940


Telefone: (27) 3334-4500
E-mail: cmv.dec@gmail.com

Atendimento ao Público:
De segunda a sexta, das 08h00 às 18h00

Dia e horário das Sessões Plenárias:
Terças, quartas e quintas-feiras,
a partir das 16h00

Copyright © Câmara Municipal de Vitória. Todos os direitos reservados.
Ágape Consultoria